Espaço Família Pro Matre

Tamanho do Texto:

Guia de Saúde

Amamentar é um dos grandes prazeres de ser mãe. E as vantagens, então, são muitas, tanto para o bebê quanto para a mãe. Mas algumas podem precisar de auxílio e de um período de adaptação e aprendizado. Isso é normal e é importante buscar a orientação adequada, com especialistas.

Por isso, o Hospital e Maternidade Santa Joana preparou este conteúdo na forma de perguntas e respostas, para ajudar você no início dessa maravilhosa missão: alimentar seu bebê com o próprio leite.

Lembre-se: na maternidade, você terá tempo e pessoal especializado para aprender a amamentar. Aproveite esse momento, pratique e tire as suas dúvidas!

1) Por que devo amamentar?

A Organização Mundial de Saúde (OMS) orienta que os bebês sejam amamentados exclusivamente até os seis meses de vida. Após esse período, a criança deve receber alimentos saudáveis, de acordo com orientação do pediatra, mantendo a amamentação até os dois anos ou mais. Até os seis meses, tudo o que o bebê precisa para se desenvolver está no leite da mãe.

2) Quais as vantagens do aleitamento materno para o bebê?

• O leite materno já vem pronto, com a temperatura e o sabor ideais para o bebê;

• Contém os nutrientes necessários para o bom desenvolvimento do bebê;

• É de fácil digestão, protege contra doenças, principalmente as respiratórias e gastrointestinais, além de anemia;

• Protege contra infecções, pois o leite materno contém anticorpos;

• Não tem risco de contaminação, pois vai direto da mama para a boca do bebê;

• Desenvolve e fortalece a musculatura facial, preparando para a mastigação e a fala;

• Faz o bebê sentir-se seguro e querido no colo da mãe, reforçando o vínculo mãe-filho, favorecendo o desenvolvimento da criança.

3) Quais as vantagens do aleitamento materno para a mãe?

• O leite está sempre pronto e livre de contaminação;

• Não dá trabalho para preparar;

• Economicamente, é o alimento mais barato;

• Diminui o sangramento após o parto;

• Amamentar ajuda a mãe a voltar mais rápido ao peso original;

• Previne contra o câncer de mama, de ovário e de útero;

• Previne a osteoporose.

4) Como o leite é produzido?

A mãe começa a produzir o leite como resultado da liberação de dois hormônios – a prolactina e a ocitocina. Quanto mais precoce for a primeira mamada, mais vínculo se criará entre a mãe e o bebê, prolongando assim o tempo de amamentação. Sugando o seio da mãe, o bebê também ajuda na descida do leite materno, pois o ato da sucção estimula, no cérebro da mãe, a glândula hipófise, que produz e libera esses hormônios.

5) Por que é importante que o bebê pegue corretamente o seio da mãe?

A pega e a sucção adequadas do bebê são fundamentais para a produção e a saída do leite. Nos primeiros dias, o leite produzido pela mama é o colostro, rico em proteínas e em defesas imunológicas. Ao longo da lactação, o leite sofrerá modificações em sua composição se adequando às necessidades para o crescimento do bebê.

6) Dicas para amamentar seu bebê

• De preferência, amamente sentada. Prefira um ambiente tranquilo e aconchegante.

• Aproveite quando o bebê estiver dormindo para relaxar. Sempre que possível, aceite ajuda na realização das tarefas diárias.

• Poltrona com braço e encosto alto pode ajudar você e seu bebê a encontrarem a melhor posição.

• Converse, cante, afague-o. A interação entre vocês é importante e, por que não dizer, um dos segredos de sucesso.

• Envolva seu bebê de forma que ele fique alinhado e confortável em seu colo. Isso ajudará a garantir uma boa pega.

• Segure a mama com a mão que está livre, de modo que o indicador e o polegar formem a letra “C” invertida.

• Toque o lábio inferior do bebê com o bico do seio, pois, com esse estímulo, ele abrirá a boca como um bocejo.

• É muito importante lembrar que o bebê não mama no mamilo (bico), mas sim na aréola. Portanto, mantendo-a flexível e macia, o bebê terá a capacidade de abocanhar toda ou grande parte da aréola.

• Ouça atentamente as orientações da equipe de enfermagem e do pediatra.

• O aprendizado da amamentação requer atenção e ambiente tranquilo. Peça que as visitas aguardem enquanto você ouve as orientações e enquanto você amamenta.

• Nos primeiros dias o bebê pode mamar muitas vezes - 8 a 12 vezes - e neste período, é comum querer mamar mais durante a noite.

• Se o bebê for sonolento, deve ser acordado para mamar.

• O contato pele a pele entre mãe e bebê estimula a produção de leite e facilita a pega.

• O colostro é o primeiro leite. É produzido em pequena quantidade, mas é muito rico em nutrientes e fatores que ajudam na prevenção de infecções.

• O estômago do bebê é pequeno e, portanto, a quantidade de colostro produzida, embora seja pequena, é adequada às necessidades do recém-nascido.

• Coloque o bebê para arrotar em posição vertical por 20 minutos após as mamadas .

• A perda de peso é normal nos primeiros dias de vida.

• Aproximadamente 3 dias após o parto, as mamas ficam maiores, mais endurecidas e há a sensação de calor no local. Este período é chamado Apojadura ou chegada do leite (saiba mais em Ordenha).

• O bebê deve abocanhar o mamilo e parte de aréola. A pega incorreta pode causar ferimentos nos mamilos, muitas vezes graves, impedindo a continuidade da amamentação.

• A pega correta não provoca dor durante a mamada. No momento da pega pode haver dor, mas esta deve desaparecer em seguida. Se a dor persistir, a pega não está correta e o bebê deve ser reposicionado no seio.

• O alojamento conjunto favorece a amamentação.

• O uso de chupetas ou mamadeiras pode prejudicar o aleitamento materno.

7) E se o bebê dormir enquanto está mamando?

Nos primeiros dias, isso pode mesmo acontecer. Para evitar, use uma ou algumas dessas técnicas:

- Alterar a posição de mamada

- Realizar estímulo tátil

- Trocar a fralda

- Clarear o quarto

- Cantar e conversar com o bebê

- Não agasalhar o bebê durante a mamada

8) Quanto tempo o bebê deve mamar em cada seio?

Deixe que o bebê esgote primeiro uma mama, para depois oferecer a outra, caso ele ainda queira mamar. As características do leite materno se alteram durante a mamada. O leite do início da mamada, chamado anterior, fornece água, proteínas e sais minerais, satisfazendo a sede do bebê; o leite posterior contém uma quantidade de gordura maior, saciando a fome do bebê. O tempo de cada mamada depende de cada bebê, e ele mesmo poderá mudar com frequência seu ritmo e seu intervalo. Observe se ocorre o esvaziamento completo da mama.

Como tirar o bebê do seio sem machucar? Se você precisar reposicionar o bebê enquanto ele mama, coloque o seu dedo mínimo no canto da boca do bebê, assim ele soltará a mama com facilidade.

Como saber se o bebê mamou o suficiente? Um bebê bem alimentado molha a fralda com urina pelo menos seis vezes ao dia e se apresenta ativo.

9) Meus seios ficaram inchados alguns dias depois do parto e não consigo amamentar. O que é isso?

Quando o leite “desce”, normalmente no terceiro dia após o parto, pode acontecer o ingurgitamento mamário, que é esse aumento do volume das mamas, que também ficam endurecidas e com maior temperatura na pele. Para que a amamentação transcorra de forma satisfatória, é preciso haver pleno equilíbrio entre a produção do leite e sua drenagem.

1. Se a mama estiver muito aumentada e o bebê tiver dificuldade em abocanhar a aréola, é preciso esvaziar a região até torná-la flexível;

2. Faça massagem circular para esvaziar um pouco a mama e facilitar a pega do bebê;

3. Procure uma posição (tradicional, invertida ou sentada) que facilite o bebê a abocanhar o máximo da região areolar;

4. Se o bebê não conseguir fazer o esvaziamento necessário para o alívio da dor, extraia mais leite por meio de ordenha manual;

5. Amamente em intervalos curtos e, se necessário, acorde o bebê para mamar mais vezes;

6. Use sempre sutiã para manter as mamas elevadas;

7. Para evitar novos ingurgitamentos, não deixe de fazer auto-ordenha sempre que o seu bebê não conseguir fazer o esvaziamento de alívio.

10) Fissuras nos seios

É possível evitar as fissuras?

As fissuras são decorrentes da má posição do bebê em relação à mama e da técnica incorreta de sucção. Isso ocorre quando o bebê suga só o mamilo, em vez de envolver a região da aréola. Para evitá-las, posicione o bebê no colo de forma que fique de frente e próximo ao seio e procure não oferecer complemento, bicos e chupetas.

Meus seios estão com fissuras: o que eu devo fazer?

• Corrija a técnica de amamentação e dê continuidade ao aleitamento materno;

• Faça a higiene das mamas apenas no banho diário;

• Aplique sempre o leite materno na região mamilo-areolar, após as mamadas;

• Mude da posição tradicional ou costumeira para outras posições;

• Amamente o bebê pelo lado menos ferido;

• Converse com seu médico e solicite uma avaliação.

11) Preciso armazenar meu leite. Como faço?

É possível armazenar o leite materno para uso posterior. Isso pode ser fundamental para manter a amamentação no período posterior à licença-maternidade.

• Após o banho, a mãe deve fazer uma completa higiene das mãos, prendendo os cabelos com touca ou lenço, retirando anéis, pulseiras e relógios, usando máscara descartável ou fralda sobre o nariz e a boca;

• Depois, lave as mãos até o cotovelo com água e sabão, enxágue bem, seque as mãos com toalha limpa ou papel toalha descartável;

• Faça massagem nas mamas, utilizando os dedos (indicador e médio), fazendo movimentos circulares no sentido da aréola na mama inteira;

• Os movimentos para coleta manual devem ser feitos na base da aréola em direção ao mamilo;

• Para a coleta com a bomba tira-leite, o funil deve ser colocado com o mamilo bem centralizado, antes de iniciar o processo. A cada coleta, todas as partes da bomba devem ser higienizadas com água e sabão neutro e fervidas em água por 15 minutos;

• Não utilize bombas no caso de o mamilo estar machucado, dê preferência à coleta manual;

• Para armazenar o leite, utilize frascos de vidro com tampa plástica. Lave o frasco e a tampa e ferva-os em água por três minutos. Pode-se armazenar também em mamadeiras de vidro ou de plástico de alta qualidade;

• Identificar o frasco com data e horário da coleta. A validade, na geladeira, é até 24 horas, preferencialmente em 12 horas. No freezer ou congelador, 15 dias;

• O descongelamento e o aquecimento devem ser feitos em banho-maria (água quente, previamente fervida). Depois de aquecer, agite o frasco para misturar os componentes do leite. Repita o procedimento até o leite amornar. O leite humano não pode ser fervido;

• A sobra do leite aquecido deverá ser desprezada.

12) Como deve ser a alimentação da mulher que está amamentando?

O princípio básico da alimentação da mãe que está amamentando é garantir a ingestão de todos os nutrientes necessários à saúde.

• Fracione as refeições em torno de seis vezes ao dia, em quantidades moderadas. Mastigue devagar e coma em lugar tranquilo. Consuma alimentos com baixo teor de gordura e evite ingerir líquidos durante as refeições principais, para facilitar a digestão;

• Nada de excessos no consumo de sal. Evite alimentos prontos como sopas em pó, temperos e caldos em tabletes, molhos em geral (molho shoyu, molho inglês), ketchup, mostarda e conservas em geral;

• Evite bebidas alcoólicas, que passam do leite rapidamente para o bebê. Consuma com moderação bebidas cafeinadas (café puro, chá mate, chá preto, chá verde e refrigerantes à base de cola ou guaraná) e chocolate;

• Beba bastante líquido, no mínimo três litros por dia (água, sucos, chás e sopas), pois os líquidos estimulam a produção de leite e regularizam a função intestinal. Evite os líquidos gaseificados (refrigerantes, água com gás);

• Não consuma medicamentos sem orientação médica, pode ser prejudicial para seu bebê.

13) Qual o papel do pai na amamentação?

A amamentação é um momento especial onde os pais podem dispensar seu tempo juntos com o bebê. A família está emocionada em acompanhar a dedicação da mãe com o bebê, mostrando felicidade com o empenho e carinho dispensados durante a amamentação.

No entanto, o pai também se sente oprimido pela alegria, cansaço e preocupação gerados pelo nascimento do bebê. Ele pode até se sentir excluído enquanto mãe e bebê se ajustam à rotina de mamar, dormir e de cuidados. Essa intensa conexão é natural e importante entre os parceiros na vida do recém-nascido, fornecendo uma espécie de ponte entre o tempo no útero para a experiência pós-parto e lançando as bases para um sentido básico de segurança na vida adulta.

Ainda, estudos têm mostrado que as crianças cujos pais estão envolvidos em suas vidas desde o nascimento, se saem melhor cognitivamente, academicamente e socialmente, à medida que crescem. Claramente, o crescimento saudável de uma criança está relacionado à segurança familiar.

Quando o parceiro pode colaborar:

Mantendo em mente que as pequenas atitudes significam muito neste momento, ele pode ajudar com uma palavra de encorajamento enquanto a mãe se ajusta à sua nova rotina, oferecer ajuda com o trabalho doméstico ou de cuidados com o bebê, enquanto ela tira uma soneca, e apoiar nas questões relativas à sua decisão de amamentar.

O pai pode assumir um papel ativo nos cuidados do bebê dando banho, vestindo e colocando-o para arrotar. Os bebês gostam de se aconchegar após a alimentação. Essa é uma grande oportunidade para os pais se relacionarem com os seus filhos.